sábado, 31 de dezembro de 2011

Haicai XXXVIII

mais um ano que passa
carcaça meio envelhecida
mas é só alegria


Wagner Marim – 31/12/2011

Feliz Ano Novo - Várias Línguas

Bonne année!
Happy new year!
Feliz Ano Novo!
Счастливого Нового Года!
С Новым Годом!
¡Feliz año nuevo!
新年快乐!
あけましておめでとうございます!
Ein gutes neues Jahr!
Szczęśliwego Nowego Roku!
Boldog új évet!
Gelukkig nieuwjaar!
nieuwjaar wordt in deze uitdrukking aan elkaar geschreven.
La Mulţi Ani! or "Un An Nou fericit!"
İyi seneler / Yeni yılınız kutlu olsun / Mutlu Yıllar
İyi seneler ! / Yeni yılınız kutlu olsun!
Gott Nytt År!
diacr
Buon anno!
Onnellista uutta vuotta!
שנה טובה!
Godt nytt år!
Štastný nový rok
Sretna Nova godina!
عام جديد سعيد !
Ευτυχισμένος ο καινούργιος χρόνος
Alternative for "happy new year" ευτυχισμένο το καινούργιο έτος
Šťastný nový rok!
Godt nytår!
Feliĉan novjaron!
Bonan novjaron!
Srečno novo leto
Feliç Any Nou!
Gëzuar vitin e ri!
Srećna Nova Godina!
Bliain úr faoi shéan is faoi mhaise duit duit ;Athbhliain faoi mhaise duit
(Happy New Year to you) ;(Prosperous New Year)
uut aastat!
สุขสันต์วันปีใหม่
نايا سال مبارک هو
(naya sal mubarik hu)
Щастлива Нова година!
Feliz Ano Novo!
Feliz año nuevo
Gleðilegt nýtt ár!
Gelukkige nuwe jaar
Gott nýggjár!
سال نو مبارک!
Среќна Нова Година!
Sretna Nova godina!
Tezze iliniz yahsi olsun
Laimīgu Jauno Gadu!
З Новим роком
Selamat Tahun Baru
新年でおめでとうございます
Manigong bagong taon!
Bloavez mad !
Folle lok en seine!

sábado, 24 de dezembro de 2011

O número três na vida de Jesus



Ornamentos, fitilhos e fitas vermelhas, douradas, verdes, xadrezes e brancas.
Bolas coloridas enfeitam a árvore natalina nesta manhã.
Todo esse paramento nos faz lembrar a data maior cristã.
Pinheiros, presentes, ceias, pisca-piscas, músicas natalinas.
Comemora-se o nascimento de Jesus de Nazaré.
Tantos os cristãos quanto muitos não cristãos 
Comemoram esta data com fé.
No Cristianismo o marco inicial do ciclo do Natal dura doze dias(1+2=3).
Vai até o Dia de Reis, dia seis (3+3) de janeiro.
Três são as cores das bolas natalinas expostas:
Vermelha, Verde e Amarela.
Três os reis magos:
Belchior, Baltasar e Gaspar.
Três os presentes dados:
Ouro, Incenso e Mirra.
Ouro, a realeza: Ele foi o Rei dos Judeus.
Incenso representa a fé 
A mirra: o martírio que viria a sofrer Jesus.
Três foram os filhos de Noé: Sem, Cã e Jafé.
Que repovoaram a terra após o dilúvio
E deles somos todos descendentes.
Mistério da Santíssima Trindade.
Doutrina cristã onde um Deus único está em três pessoas distintas:
O Pai, o Filho e o Espírito Santo. Doze (1+2)=3, foram seus apóstolos.
Traído por Judas Iscariotes por trinta moedas (3+0=3).
Pedro o renegou três vezes.
Eram três no Calvário, três cruzes.
Foi pregado às três horas da tarde.
Morreu aos 33 anos (duplos três). 
Três mulheres cuidaram do seu corpo.
Ressuscitou no terceiro dia.
Três espíritos imundos saem das bocas 
Do dragão, da besta e do falso profeta, em Apocalipse.
Três os estados da matéria: sólido, liquido e gasoso.
O corpo humano se divide em três partes:
Cabeça, tronco e membros.
O primeiro número primo é o três,
que é apenas divisível por si mesmo e pela unidade.
Três pessoas representam o símbolo da família:
O pai, a mãe e o filho.
Três são as virtudes teologais: fé, esperança e caridade.
São nove (3x3). O fruto do espírito é: amor, paz, alegria,
magnanimidade, bondade, benignidade, fidelidade, temperança e mansidão.
Por três estágios passou a obra da salvação: 
Crucificação, ressurreição e ascensão.
Nós somos corpo, alma e espírito.
O número três é mágico, misterioso e único.
Parece estar ligado com a vida, a morte e a ressurreição de:

JESUS DE NAZARÉ

Wagner Marim – 18/12/2011

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Poema do Minuto

Rabisco rapidamente um tema
Arqüi com trema
Para contrariar a nova ortografia

Redijo freneticamente uma cena
Deslizo com nanquim da minha pena
A fim de não ultrapassar o minuto

Que é completo em seu todo

Deixo então atuar a inspiração


Wagner Marim- Dezembro2011

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Acarinhar


A lua
No céu
No chão
No mar
Ao além
Acarinha com prazer
O reflexo dos namorados em seu dorso.

Wagner Marim – 1991

domingo, 11 de dezembro de 2011

Poemini 04

Neste ventre há vida!
Nestes seios o alimento.
Tu desenlaças os nós desta corda,
Dos laços deste cordão tu te desembaraças.
Sabes que estás a um palmo do Paraíso?
Wagner Marim - 11/12/2011

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Loirinha

Ah!
Esses teus olhos loirinha
Cor do mar e esperança
Uma vontade grande de amar
E me amar.
Ah!
Esses teus lábios, mocinha
Quentes como o fogo
Uma vontade grande de amar
E só me amar.
E
Esse teu jeito, menina
Todo teu gesto, mulher
Fica calado meu peito
Quando te vejo chorar
Nada dói mais em mim
Do que lágrimas tuas.
Quero ver o por do sol
O mar roçar na areia
Quero ter só você
Amor, rolar na areia.

Wagner Marim-1972

sábado, 26 de novembro de 2011

Dormir (*Overtrip)

Primavera, verão
São quatro as estações
Outono, inverno
Qual delas a melhor?
Sol, calor
Praia, areia, mar, esteira
Chuva, frio
Abrigo, capote, guarda-chuva
Lar, aconchego
Nessa cama tão quentinha
Durmo, adormeço


Wagner Marim – 20/11/2011

*Overtrip é criação de Celso Corrêa de Freitas

domingo, 20 de novembro de 2011

O que vês?

O que vês?
Não são outros olhos que te olham
São os meus olhos quem te olham
Olham com um gosto de indagação e quietude
Com momentos de espanto outros de ternura
Até coloco minha mão para cobrir o rosto. Mas não adianta.
Eles ainda continuam lá. Na cavidade orbital.
Não tem por onde escapar.
Pois lá é o lugar deles.
Meus olhos veem através da mão
Porque ela não trava minha visão
Minha mão só esta ali por que é ali que agora precisava estar.
Ela nada tem a ver com que vejo
Pois minha visão está em meus sentidos e em meus pensamentos
Não se espante!
O espanto é a surpresa do inesperado.
E de ti nada espero. Nem arrependimento nem ilusão e tampouco perdão
Tu não vês que finjo que te olho por entre os dedos de minha mão
Mas escondo com minhas mãos os olhos com que gostaria de te ver?
Tu não vês?

Wagner Marim - 19/11/2011

terça-feira, 15 de novembro de 2011

É TARDE – (OVERTRIP*)

É tarde
Arrumo meus últimos pertences
Preencho devagar
A mala que assiste
Quieta, emudecida
O meu jeito simples
Inocente, trivial
No instante que envelheço
No desespero
E na espera finita:
Meu desejo

Wagner Marim-03/11/11

*Overtrip é criação de Celso Corrêa de Freitas
(Diretor da Casa do Poeta Brasileiro da Praia Grande)


O QUE É OVERTRIP?

 

O que é “OVERTRIP?”
O = ONZE LINHAS NA ESTRUTURA DO POEMA
VER = VERSOS LIVRES OU NÃO.
TRI = TRINTA E DUAS PALAVRAS
P = PENSAMENTO CONCRETO
As 32 palavras são distribuídas entre os 11 versos.

Ex: 2 palavras no 1º Verso
4 palavras no 2º Verso
E assim sucessivamente na seqüência ou alternadamente até que se chegue a 11ª Linha de versos.
Veja um exemplo, nesta pretensa nova modalidade de se fazer um poema.

INOCENTE

Corra porra
A polícia vem ai
Tem cheiro
De pólvora no ar
Um inocente
Espera o rabecão chegar
Tombou reto
Morreu sem poder reclamar
Chora família
Quem matou por certo
Conhece Brasília.

*Overtrip é criação de Celso Corrêa de Freitas
(Diretor da Casa do Poeta Brasileiro da Praia Grande)

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Haicai XXXV



 vidigal, rocinha
sem choro nem tiro e vela
bom enquanto dura!

Wagner Marim – 12/11/2011

Variações do Fibhaiku

Texto de: Mardilê Friedrich Fabre
Meu intuito é divulgar o fib e suas variações. Tenho lido alguns poemas que me parecem uma tentativa de fib. Então, por sentir que esta forma está despertando curiosidade, organizei e publico este texto.

Para mim, poesia é criatividade, e muitas regras tolhem a imaginação. Cuido da métrica, mas com “certa liberdade”, daí também, como a poetisa Nilza Azzi, por meio de quem entrei em contato com o fib e suas variações, ter-me identificado com eles.

A poetisa Nilza Azzi vem praticando o fibhaiku (fib) desde 2008. Trocou informações a respeito com o poeta Ronaldo Rhusso, que já conhecia o fib da Flórida. Segundo ele, o fib faz parte de uma linguagem de rua, envolvendo palavras e numerais. Mesmo Ronaldo Rhusso afirmando que essa forma não "pegou", ela adotou a prática do poema e insistiu nela, porque lhe agradava muito e permitia recursos de expressão visual e simbólica, além da possibilidade de síntese. Por referência obtida nas pesquisas e por intuição, começou a “brincar” com algumas variações desse tipo de poema, embora Ronaldo Rhusso insista em que o fib não admite duplicação. Para ele, seria preferível que o conhecimento da forma tradicional se firmasse a fim de evitar deturpações. Se as variações forem uma tendência, isso se revelará com o tempo.

Recentemente, no Recanto das Letras foram criados tópicos sobre o fib e suas variantes, as quais receberam denominações.
Eis exemplos dessas variações:
1) Fib refletido
Desenvolve-se o fib principal (1,1,2,3,5,8,) em dueto ou refletido pelo próprio poeta (8,5,3,2,1,1). Este tipo de fib pode ser intitulado.

Escrevo poemas

Não
sou
poeta.
Só declino
emoções que brotam.
Verto minh´alma no papel.
Ouso fazer versos rimados.
Minhas fantasias
perpetuadas
no tempo
frágeis
voam.

Mardilê Friedrich Fabre

2) Fib estendido
Tradicionalmente, esta é a única possibilidade de aumentar o fib, pois este poema segue a sequência infinita de Fibonacci (1,,1,2,3,5,8,13,21...). As demais formas são expementais. Aqui o título é o primeiro verso.

Cai
Chuva
Cai chuva
Sem parar
Já sei a lição
Nunca mais peço pra chover
Que medo de ser levada por essa enxurrada...
Se eu não fosse paulistana não saberia o que fazer para escapulir!

Nilza Azzi
3) Fib piramidal
Segundo Nilza Azzi, “esta forma permite que se continue um tema, construindo uma pirâmide de fibs. Tantas quantas se desejar”. Pode-se dar título.
Agora somos um

Dois
Olhos
Acolhem-se.
Sem demora,
Sentem o calor,
Corpos entregue à paixão.

Dois
Corpos
Caminham,
Buscam vida,
Juntos para sempre.
Entoam o hino do amor.

Nós
Somos
Uma alma.
Impossível
A separação.
Os corações estão unidos.

Mardilê Friedrich Fabre

4) Fibhaicai
Este tipo do fib é composto por um hacai e um fib, respeitando-se a métrica característica de cada um( haicai: 5-7-5 e fib: 1,1,2,3,5,8 sílabas poéticas). Os dois devem manter vínculo quanto ao tema.

Renascimento

Corre o regato.
Suas translúcidas águas
refrescam o mato.

Verdes
árvores
vicejam,
reanimam-se.
Festejam a vida.
Com energia reflorescem.

Mardilê Friedrich Fabre

5) Fib invertido
Em forma de ampulheta, seguindo a métrica: 8,5,3,2,1,1,1,1,3,5,8. É o fib refletido ao contrário. Pode-se atribuir-lhe um título.

SUPERAÇÃO

Recomeçar assim do zero
sobra desespero
as carências
são tantas
bem
mais
do
que
nós outros
poderemos
suprir a contento
mas por ti juntamos as forças

Nilza Azzi

6) Fibgrama
É um fib com as normas do tautograma (poema em que todas as palavras começam com a mesma letra). Segue as normas do fib: o título é o primeiro verso.


Pulga
pula
passeia
pela pele
peço paciência:
praga! Preciso pulverizar...

Nilza Azzi

Créditos para Mardilê Friedrich Fabre

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Fibhaiku: O que é?

O fibhaiku (nome formado de Fibonnaci + Haiku) é um poema minimalista da família do haicai. Este tipo de poema, que eu saiba, no Brasil, ainda é quase desconhecido. Atribui-se sua criação ao poeta John Frederick Nims em 1974.
O fibhaiku, experimental na poesia ocidental, conta uma história rápida, pequena, concisa... é um "soco"! Desse fato originou-se como gíria nos guetos de algumas cidades dos EUA o termo fib para designar "soco".
Este texto é o resultado de pesquisas na Internet, de troca de e-mails com os escritores Nilza Azzi e Ronaldo Rhusso e de comentários deste último em fibhaikus, no fórum do Recanto das Letras.

Algumas normas para redigir um fibhaiku (fib):
• não possui numeração, pois o título é obrigatório e faz parte do poema;
• tem 20 sílabas poéticas, que incluem o título, o qual entra na contagem de versos como o primeiro;
• o segundo verso deve ser um dissílabo paroxítono, porque deve ter apenas um som, sendo assim um dissílabo oxítono não cabe nesse verso, pois ele ficaria com dois sons;
• a contagem de sílabas poéticas dos versos segue a sequência de Fibonacci (1,1,2,3,5,8,13...): cada verso tem o número de sílabas poéticas, que é a soma das dos dois versos anteriores: título, que é o 1º verso, uma sílaba poética ; 2º verso, 1 (considerando-se que antes do 1º verso, o número de sílabas é zero); 3º verso (soma das sílabas do título (1º verso) com as do 2º verso), 2; 4º verso, 3; 5º verso, 5, 6º verso, 8...) em uma sequência infinita;

• não aceita duetos (é uma sequência infinita);
• nele pode-se expressar o subjetivo: sentimentos, emoções, estado de alma;
• sua estrutura é rígida;
• está associado ao OuLiPo.

Como foram citados nomes ligados à matemática, fazem-se necessárias algumas explicações:
1) Fibonnaci - Leonardo Pisano ou Leonardo de Pisa (1175-1250) nasceu em Pisa (Itália). Depois de sua morte, ficou conhecido como Fibonacci (filho de Bonacci). É considerado o mais talentoso matemático da Idade Média.

Esse matemático italiano ficou conhecido por ter criado os Números de Fibonacci e por ter introduzido na Europa o moderno sistema decimal posicional arábico, ideal para escrever e manipular números (algarismos). Se hoje usamos os dígitos de 0 a 9 e os alinhamos da direita para a esquerda para indicar quantidades cada vez maiores, devemos isso à divulgação feita por Fibonacci.
A sequência de Fibonacci consiste em uma sequência de números, de modo que, definindo os dois primeiros números da sequência como sendo 0 e 1, os números seguintes são obtidos pela soma dos seus dois antecessores.

Portanto, os números são: 0,1,1,2,3,5,8,13,21,34,55,89,144,233,...
Recentemente, a sequência de Fibonacci tornou-se um tema célebre da cultura popular ao ser citada no livro e filme O Código Da Vinci.

2) O OuLiPo (Ouvroir de Littérature Potentiel), algo semelhante a uma oficina de literatura em potencial, é uma corrente literária formada por escritores e matemáticos, que propõem a libertação da literatura, aparentemente de modo paradoxal, mediante "constrangimentos literários". Trata-se de exercícios que, partindo de uma norma pré-estabelecida, em vez de limitar, favorecem a imaginação e estimulam a produção textual.
Esse movimento surgiu na França, em 1960, e tem entre seus principais autores Raymond Queneau, François Le Lionnais, Georges Perec e Italo Calvino.

Marcel Bénabou e Jacques Roubaud, integrantes do Oulipo, no artigo intitulado O que é o OuLiPo?, dizem que "é a literatura em quantidade ilimitada, potencialmente produzível até o fim dos tempos, em grande quantidade, infinita para todos os usos". Como exemplos das regas propostas para suas produções literárias estão: escrever um romance inteiro, utilizando uma só vogal (Les revenentes, de Georges Perec), utilizar ao máximo a linguagem oral (Zazie no Metrô, de Raymond Queneau), entre outras restrições.
Seguem um exemplo de fibhaiku.

1.


Um
Fulgor
Nesse olhar

Que muito me agrada...
Ele é o espelho d'alma mais linda!

Ronaldo Rhusso


Créditos para:Mardilê Friedrich Fabre

Prece - Fibhaiku

Prece
Cresce
Madura,
Sem alarde.
Sustentável fé
Que num embalo metafísico
Comungará sentimento tido inquebrantável.
Wagner Marim 04/11/2011
Fib extendido

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Hoje - Fibhaiku

Hoje
Tenho
Saudade
Permanente.
Companheira viva.
Lembranças colhidas sem pressa,
No redemoinho das descomedidas paixões.
Wagner Marim-03/11/2011
Fib Extendido

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

O passageiro da vida

Vive-se uma só vida
Todavia fazemos parte de muitas.
Percorre-se uma mesma estrada
No entanto são vários os caminhos.

Lanço-me à frente sem pestanejar
Em busca de melhores sóis.
Lamentos e desilusões
Estão de mim se esquecendo,
Enquanto esperanças e alegrias
De mim vão se lembrando.

Atino que num momento de desânimo
Subjugo-me às idéias cruéis e titubeio.
Mas a fé é tão firme e estável
Que tal fato nem chega a prejudicar-me.
Sou levado por uma torrente de anseios
Que delineiam minha passagem por aqui.

Não sei se por aqui minha passagem foi boa ou não,
Mas até agora passei e tive coragem
Para enfrentar os dragões da discórdia.
Esses os mesmos os quais foram abrandados
Pela espada da misericórdia.

Enfim, ergo a taça da vitória
E bebo dela o vinho da luta vencida
E dou vivas à glória por haver alcançado
E ter a felicidade de ser um passageiro da vida.

Wagner Marim – 08/10/2011

domingo, 2 de outubro de 2011

Temporalidade

Cada hora é hora
Em cada hora a mesma desaparece
E deixa de ser hora para tornar-se agora

Cada momento é um período
Em cada período o instante finda
E deixa de ser instante para transformar-se em agora

É o tempo e o espaço escorregando no agora
O agora é presente, é passado e já é futuro

A todo instante há alteração no tempo
A vida alinha-se a essa modificação
Assim existe-se na função do tempo

Ao extinguir-se o momento, descortina-se o véu do tempo
E deixa-se de estar presente.
E não estar presente é não existir naquela hora.

Dessa forma pertence-se ainda a este mundo
Mas não se presencia aquele instante.
O qual é precipitado no espaço etéreo.


Wagner Marim - 27/02/2011

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

atenção@alerta.com.br

Quem fala ao celular ou fica "twittando" dirigindo, tem grande probabilidade de breve estar enviando e-mail psicografado.

Wagner Marim-22/09/2011

domingo, 11 de setembro de 2011

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

ETERNIDADE

Breve eternidade
Preciso tempo impreciso
Tão longe tão perto
Tênue temeridade do etéreo
Levíssima e insignificante massa
Incomensurável velocidade
Dependente do referencial
Nos limites da relatividade
Fronteiras do desconhecido
Tudo se resume num cintilo
Tudo se principia e se define
Na religiosidade e na fé.

Wagner Marim – 18/04/2011

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Quero voltar

Tenho a desculpa pronta
Na ponta da língua.
Na mala guardo o sol, o céu e as estrelas
Para levar-te
No aguardo do sim em tua resposta

Wagner Marim - 25/07/11

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Desfecho

ÚLTIMA viagem da vida.
Trilhos paralelos que ligam
nada a lugar algum.
No etéreo - até quando?
resistirá a criação!

O passar é místico e aveludado como um pêssego.
Simples e complexo como a formação da gota d'água.

Ontem usava o cetro incerto do poder inerente.
Hoje poderia usar o cajado;
não para orientar cordeiros
nem para determinar arroubos entre nós meros mortais.

Mas, para apontar o remanso do lar.
Do fechar da porta.
Da porta aberta.
Do ponto final do parágrafo.
Do parto natural da paciência.
E, por que não do espírito embutido na alma?

Que mais forte que a podre carne
invoca representação:
Representação de todo o teatro
por que passa a vida humana.

De todo o ator representado em ser.
De todo o louvor mal louvado e expirado.
De todo o cansar, reprimido.
Embora, morrer não seja desaparecer,
é antes de tudo faltar.
Faltar!
Há morrer quando há o faltar.
E, morrer é a falta que deixa
a chave que fecha a porta.
Wagner Marim

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Haicai XI

em espanhol

cáscara de plátano
la tranquila noche lánguida
rocío se desliza

em português

casca de banana
na lânguida noite calma
do orvalho desliza



Wagner Marim - 16/03/2011

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Idade

Mesmo tendo mudado sou o mesmo.
Hoje grisalhos são meus cabelos,
Grave e miúda minha voz.
Meu olhar não é triste nem alegre, é vivido.
Curtos são meus passos e lentos os reflexos.
Meu corpo já se enverga pela ação do tempo,
E minha pele começa a dobrar-se tecendo vincos.
O tempo encarregou-se de moldar
Meu físico e minha mente, à sua passagem.
Se de um lado engendrou-me a sabedoria da idade,
Por outro me deixou o mesmo tendo mudado.

Wagner Marim-17/05/2011

terça-feira, 3 de maio de 2011

Haicai XXVII

Família de luto
Um rato aparece rápido
Terror absoluto

Wagner Marim – 27/04/2011

terça-feira, 26 de abril de 2011

Haicai XXIV

Breve eternidade
Preciso tempo impreciso
Tão longe tão perto

Wagner Marim – 18/04/2011

domingo, 17 de abril de 2011

Haicai XXIII

nós, presos em casa
nossas crianças, nas escolas
liberdade já!

Wagner Marim – 15/04/2011

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Noturno

num abraço
envolvo tudo
à minha frente

ao avanço
aconchego a todos
à minha volta

sou o manto da escuridão

um dos braços da noite

Wagner Marim - 11/04/2011

quarta-feira, 13 de abril de 2011

THE RIGHTEOUS BROTHERS

THE RIGHTEOUS BROTHERS é o nome do dueto musical formado por Bill Medley e Bobby Hatfield. Eles gravaram de 1963 até 1975, e continuaram tocando ao vivo até a morte de Hatfield em 2003.

You've lost that loving feeling - The Righteous Brothers





You've lost that loving feeling - The Righteous Brothers

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Haicai XXI

quais folhas maduras
impelidas pelo vento
vão-se os ditadores

Wagner Marim – 31-03-2011

domingo, 3 de abril de 2011

Haicai XXII

acender a vela
ascende-la para os céus
cântico entoar

Wagner Marim – 02/04/2011

sábado, 26 de março de 2011

Haicai XVII (Hora do Planeta)

vinte e seis de março
plena estação outonal
dê uma hora ao planeta.

WAGNER MARIM – 26/03/2011

TRANSPORTE

 

De repente
Transporto-me no tempo
e na mente.
Estou num grupo de crianças,
felizmente,
sinto-me ser uma delas.
 
WAGNER MARIM -17/09/1969

terça-feira, 22 de março de 2011

Haicai XV

Imagem Google

Bruços na janela

Aguardando a super lua

Sampa enrubesceu-se.

wagner marim - 22/03/2011

domingo, 20 de março de 2011

Haicai XIV

Imagem Google

Lágrimas internas,
perpetuidade do Sol
nunca se evaporam.

Oração pelo Japão

Vamos nos reunir
Nessa corrente de fé e união
Rezar pelo Japão
Nesse triste momento sentir
Por que passa essa nação
Nossa dor e nosso lamento
Nesse instante doar
Vamos todos essa aflição compartilhar

Wagner Marim



sexta-feira, 18 de março de 2011

Haicai XII

Fato consumado

Movimentado verão

Siriris em ação.

 

wagner marim - 18/03/2011

domingo, 13 de março de 2011

Momento

Às vezes quando estou só

E não sinto ao menos sua presença

Pressinto a solidão chegando

Esqueço até seu nome

De mim toma conta

Um calafrio intenso

Olho para o céu imenso

Assim como o amor que sinto por você

A fumaça de meu cigarro

Delineia no ar a imagem de seu rosto

Por um momento senti que estava aqui

Junto a mim

De repente esvaiu-se

E ficou só a essência de sua presença.

domingo, 6 de março de 2011

Haicai VI


Imagem Google


No baú no sótão

estava dia de carnaval

cupim fez a festa.


Wagner Marim – 06/03/2011

quarta-feira, 2 de março de 2011

Haicai V


Imagem Google


O amor desvendara

num indelével inverno

o célebre enigma.

 

wagner marim-28/02/2011

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Haicai IV

Imagem Google

 

Pica-pau pinica

Na fenda da amendoeira

O suco da vida

 

Wagner Marim - 24/02/2011